Como causar uma boa impressão quando você faz home office

A possibilidade de trabalhar de forma remota é extremamente atrativa para a maioria dos profissionais. Nos Estados Unidos, onde os trabalhadores levam, em média, meia hora para chegar ao trabalho e meia hora para voltar, trabalhar do conforto de casa, de uma cafeteria local ou de um espaço de coworking próximo constitui uma vantagem que já é aproveitada por quase metade da força de trabalho norte-americana.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

No entanto, as empresas – que também se beneficiam de políticas de trabalho remoto flexíveis ao reduzir os custos fixos decorrentes do espaço físico do escritório – estão com dificuldade para lidar com os desafios da colaboração de seus funcionários remotos.

Leia também

A empresa de sofwares Igloo, onde eu trabalho, recentemente entrevistou 2 mil trabalhadores para analisar o estado da força de trabalho digital em um novo relatório. Os nossos dados indicam que mais da metade dos funcionários remotos foram deixados de fora de reuniões importantes, e mais de dois terços relataram lidar com desafios que não encontrariam em um ambiente de escritório.

O compartilhamento do conhecimento é fundamental em qualquer ambiente de trabalho. Este fato é especialmente verdadeiro para quem trabalha remotamente. Ainda assim, 43% dos funcionários já deixaram de compartilhar um documento com um colega porque não conseguiam encontrá-lo, ou por pensarem que demorariam demais para encontrá-lo. Embora trabalhar remotamente possa limitar as distrações presentes no escritório, desafios como este fazem com que seja mais difícil que os funcionários remotos sejam tão bem-sucedidos quanto seus colegas fisicamente presentes no escritório.

56% dos trabalhadores remoto já deixaram de receber informações importantes por causa do seu status remoto. Os empregadores são responsáveis por oferecer aos funcionários as melhores ferramentas de comunicação e colaboração com seus colegas, mas quem não está no escritório precisa usá-las de forma eficaz para garantir que a sua voz não seja ignorada. Estes três passos são uma boa forma de começar.

1. Sempre faça com que a sua presença (ou a falta dela) seja notada

A frase “Quem não é visto não é lembrado” não deveria se aplicar aos trabalhadores remotos, mas isso acontece com muita frequência. Na nossa pesquisa, 56% dos funcionários que trabalham remotamente perderam informações importantes por causa do seu status de trabalho, e 70% relataram que se sentem “deixados de lado”.

Para ser incluído, assegure-se de que seus colegas de trabalho saibam onde você está, ou pelo menos de que saibam quando você está online. Por exemplo, se você vai sair de casa para almoçar ou tomar um café, alterar o seu status para ‘ausente’ no seu aplicativo de mensagens pode ajudar a evitar conexões perdidas, acabando com a infame resposta “Desculpe pelo atraso!”.

Embora os funcionários remotos possam não ter o luxo de reservar uma sala de reuniões para uma conversa rápida, há uma variedade de ferramentas fáceis de usar e com um bom custo-benefício que facilitam a tarefa de fazer uma reunião cara a cara, independentemente da localização.

Marcar reuniões informais usando Microsoft Teams, Google Hangouts, Zoom, Slack, e até o bom e velho telefone pode ajudar a criar uma relação mais próxima com colegas de diversas localizações, o que pode ser útil quando você precisar deles para obter informações.

2. Crie um ambiente profissional

Trabalhar sentado na cama é tentador, mas é melhor reservar este local para os dias em que você estiver doente. Criar um ambiente profissional em casa ajuda a potencializar a produtividade. Na verdade, os estudos mostram que trabalhar na cama ou nos espaços de convivência de casa pode fazer com que os trabalhadores associem estes lugares ao estresse e tenham dificuldade para se desconectar do trabalho, mesmo depois do fim do expediente.

É fundamental que os funcionários remotos construam um ambiente dedicado ao trabalho que contenha as ferramentas certas para a vida profissional. Ter um espaço com uma escrivaninha, monitor, teclado e materiais de escritório pode trazer bons resultados.

Criar uma estrutura para o dia, além de montar um espaço de trabalho e se vestir de forma profissional, também ajuda a separar as fronteiras da vida pessoal e profissional, evitando a possibilidade de burnout. Fazer uma pausa para tomar um café ou sair de casa para almoçar, assim como os colegas que estão no escritório costumam fazer, favorece a produtividade a longo prazo.

Quando chegar a hora de desligar o computador no fim do dia, poder fechar uma porta física permite que os funcionários deixem o trabalho no escritório (de casa).

3. Faça com que a sua voz seja ouvida

Como quem trabalha remotamente não está presente fisicamente, ser ouvido é fundamental. Isso não significa que é preciso dominar todas as conversas, mas você deve, no mínimo, evitar ficar mudo durante as reuniões e encontrar formas de contribuir para discussões significativas.

Isso faz mais do que aumentar o seu valor como funcionário. Um estudo conduzido pelo psicólogo Matthias Mehl na Universidade do Arizona mostrou que as pessoas que participam de conversas substanciais e significativas ao longo do dia costumam ser mais felizes do que aqueles que jogam conversa fora na maior parte do tempo.

Os trabalhadores remotos também precisam dar atenção às conversas relacionadas ao crescimento na carreira. Como não há máquinas de café para ajudar a puxar assunto, estes trabalhadores precisam ser diligentes ao registrar e compartilhar suas conquistas e vitórias profissionais.

Falar com um supervisor sobre os resultados obtidos em um projeto em andamento não é arrogância, é boa comunicação. Participar de painéis de mensagens internos e interagir em canais sociais corporativos demonstra um comprometimento com a empresa e torna a comunicação mais natural quando as oportunidades de crescimento e as promoções estiverem em pauta. Neste momento, não há razão alguma para que os trabalhadores remotos sejam preteridos na escolha.


Kristen Ruttgaizer

Quartz